terça-feira, agosto 23, 2011

NALTREXONA - Você sabia que associado ao BUPROPIONA - auxilia no controle da obesidade?

Naltrexona 
TÍTULO:

Efeito da naltrexona mais bupropiona na perda de peso em adultos com excesso de peso e obesos (CRO-1): ensaio multicêntrico, randomizado, duplo-cego, placebo-controlado, fase 3
Effect of naltrexone plus bupropion on weight loss in overweight and obese adults (COR-I): a multicentre, randomized, double-blind, placebo-controlled, phase 3 trial

AUTORES:

FRANK L GREENWAY, KEN FUJIOKA, RAYMOND A PLODKOWSKI, SUNDER MUDALIAR, MARIA GUTTADAURIA, JANELLE ERICKSON, DENNIS D KIM, EDUARDO DUNAVEVICH

FONTE:
Lancet 2010; 376: 595-605

SÍNTESE:


Introdução

Apesar do aumento das preocupações em saúde pública com relação á obesidade, existem poucos tratamentos medicamentosos seguros e eficazes. O tratamento combinado com naltrexona e bupropiona da liberação prolongada foi desenvolvido para produzir ações complementares nas vias do SNC regulando o peso corporal. O estudo Contrave Obesity Research I (COR-I) avaliou o efeito desse tratamento sobre o peso corporal em pacientes com excesso de peso e obesos.

Métodos

Homens e mulheres com idades de 18 a 65 anos que apresentavam índice de massa corporal (IMC) de 30 a 45kg/m2  e obesidade não complicada ou IMC de 27 a 45 kg/m2 com dislipidemia ou hipertensão foram considerados aptos para participar deste ensaio randomizado, duplo-cego, placebo-controlado, fase 3, realizado e, 34 locais nos EUA. Aos participantes foram prescritos uma dieta hipocalórica leve e exercícios, tendo eles sido aleatoriamente designados em uma razão 1:1:1 para receberem 32 mg por dia de naltrexona de liberação combinada em comprimidos de dose fixa (também


conhecido com NB32), 16 mg por dia de naltrexona de liberação prolongada mais de 360 mg por dia de bupropiona de liberação prolongada combinada em comprimidos de dose fixa (também conhecido como NB16) ou placebo correspondente, duas vezes ao dia, administrado oralmente por 56 semanas. O ensaio incluiu aumento de dose em três semanas. A randomização foi estratificada pelo centro de estudo. Os pontos finais


coprimários de eficácia em 56 semanas foram a porcentagem de mudança no peso corporal e a proporção dos pacientes que obtiveram redução no peso corporal e a proporção dos pacientes que obtiveram redução no peso corporal de 5% ou mais. A análise primária incluiu todos os participantes randomizados com uma medida de peso na pesquisa inicial e uma medida de peso pós-pesquisa inicial durante o estudo do medicamento (última observação levada adiante).

Resultados

1742 participantes participaram e foram randomizados para tratamento duplo-cego (32 mg de naltrexona mais bupropiona, n = 583; 16 mg de naltrexona mais bupropiona, n = 578; placebo, n = 581). 870 (50%) dos participantes completaram as 56 semanas de tratamento (n = 296; n = 284; n = 290, respectivamente) e 1453 (83%) foram incluídos na análise primária (n = 471; n = 511).
A alteração média no peso corporal foi de -1,3% (SE 0,3) no grupo placebo, de -6,1% (0,3) no grupo de 32 mg de naltrexona mais bupropiona (p < 0,0001 x placebo). 84 (16%) dos participantes designados para o placebo tiveram um aumento no peso corporal de 5% ou mais em comparação com 226 (48%) designados para 32 mg de natrexona mais bupropiona (p < 0,0001 X placebo) e 186 (39%) designados para 16 mg de naltrexona mais bupropiona (p < 0,0001 x placebo).
O evento adverso mais freqüente nos participantes designados para o tratamento combinados foi a náusea (32 mg de naltrexona mais bupropiona,155 [27,2%]; placebo, 30[5,3%]. Dor de cabeça, constipação, tonteira, vômitos e boca seca foram também mais freqüentes nos grupos de naltrexona  mais bupropiona do que no grupo placebo. Um aumento transitório de cerca de 1.5 mmHg em média na pressão arterial sistólica e diastólica foi seguido de redução de cerca de 1mmHg abaixo da pesquisa inicial nos

grupos naltrexona mais bupropiona. A combinação do tratamento não foi associada ao aumento da depressão ou eventos de suicídio em comparação com o placebo.

Discussão

Este estudo confirma os resultados demonstrados no estudo fase 2, no qual o tratamento com naltrexona associada à bupropiona e combinado com uma dieta leve e exercício está associada com uma maior perda de peso e melhora em vários fatores de risco cardiovascular em indivíduos com sobrepeso ou obesos quando comparado com o placebo. O tratamento foi geralmente bem tolerado. A média de perda de peso determinada nos participantes foi de 6,1Kg para o grupo placebo. Participantes do grupo naltrexona 32mg combinada à bupropiona tiveram perda de peso corporal pelo menos de 5 a 10%, três vezes maior que os participantes do grupo placebo. O tratamento com naltrexona 32 mg com bupropiona também foi associado com uma perda de peso significativamente maior e geralmente com maiores melhoras nos fatores de risco cardiometabólico e na qualidade de vida relacionada ao peso que o grupo que recebeu o regime com naltrexona 16 mg com bupropiona.

Conclusão

Uma combinação de naltrexona mais bupropiona de liberação prolongada pode ser uma opção terapêutica útil para o controle da obesidade, melhorando a habilidade de controlar o comportamento alimentar e a resposta da compulsão alimentar. Embora a modificação do estilo de vida seja a terapia de primeira linha para a obesidade, a aderência a esta intervenção é pequena. A combinação naltrexona com bupropiona poderia ser uma adição útil ao grupo de medicações atuais que facilitam a aderência à modificação do estilo de vida e produz perda de peso clinicamente relevante para o tratamento da obesidade e distúrbios relacionados à obesidade.



8 comentários:

  1. Tenho 39 anos e estou tomando o natrexona 8 mg assossiado ao bupropiona 150 mg. Qual a probabilidade de perda de peso? Esta dosagem é a correta? Tays - RJm

    ResponderExcluir
  2. Olá querida Tays! Quero deixar bem claro que as portagens do meu Blog são apenas artigos que compartilho. São extraídos de fornecedores do produto. Em particular tenho visto bons resultados e também resultados ruins causados pelos efeitos colaterais diversos, por isso ainda sou a favor de um bom acompanhamento de um profissional de nutrição. Você vai me dizer que o resultado e' lento e eu concordo, porém será excelente. Esta dosagem e' habitualmente usada para inicio de tratamento, podendo o medico aumentar ou manter de acordo com a evolução do tratamento. Agradeço a sua participação no meu blog, abraço!

    ResponderExcluir
  3. Olá , também estou tomando naltrexona 10mg + bupropiona 100mg á 20 dias. Sinto que essa dose é só pra iniciar o tratamento, pra que nosso organismo se acostume e depois o médico vai chegar na dose certa. O que tenho reparado é que o tratamento com essa fórmula é mais lenta, mas acho que o resultado vai ser bom. Tive a maioria dos efeitos colaterais, com exceção da levação da pressão, hj os efeitos já estão diminuindo.Gostaria de saber quais os efeitos ruins que vc disse ter visto Silvia? conta pra gente....estou curiosa! karina, MG

    ResponderExcluir
  4. Querida Karina, como vai? É um prazer tê-la em meu Blog! Vamos direto ao assunto, o intuito desta matéria é trazer o Estudo do Naltrexona. Não posso falar muito sobre o produto até mesmo por não ser um profissional apto a fazê-lo. Posso dizer-lhe apenas que é um medicamento que costuma causar náuseas, vômitos, dores de cabeça, sono, etc... que para mim já é um bom motivo para não usá-lo. O importante é que você esteja fazendo o acompanhamento com seu médico. Aguardo mais posts seu para informar-nos sobre o resultado do seu tratamento, o leitor irá gostar. Um abraço e obrigada!

    ResponderExcluir
  5. Estou tomando essa fórmula que foi indicada pelo meu endocrinologista. Sou contra qualquer tipo de marketing de remédios, inclusive não irei dizer q quantidade que me foi passada. E acho que qualquer dúvida, deve ser sanada com o médico, somente com ele. Nutricionista nenhum pode prescrever remédios. Somente deve ser feito por médico ou seja pessoa que possui CRM.
    Parabéns a dona do blog por ser ética e recomendar que as pessoas procurem médico.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ligia, muito boa a sua colocação. Deixo sempre bem claro que este Blog foi feito para deixar as pessoas mais atualizadas em relação as novidades do mercado sobre todos os assuntos. Não tenho nenhuma informação a passar a não ser estes artigos que posto aqui. Sempre oriento a procurar o seu médico e pedir orientações pois ele é a pessoa indicada. Quanto a Nutricionista elas podem prescrever medicamentos sim desde que não sejam medicamentos de controle especial, como os de Tarja Preta ou Vermelha e de Retenção de Receita. Para esclarecer melhor existe no CRN(Conselho Regional de Nutrição) uma lista do que os profissionais desta área podem prescrever e inclusive a dosagem de cada medicamento. Espero que tenha esclarecido. Muito obrigada pelo comentário, e te convido a particpar do Blog clicando ao lado pois em breve faremos um sorteio. Um beijo e ótima semana.

      Excluir
  6. olá silvia, tbém estou começando o tratamento com esse medicamento espero que este não seja tão agressivo, mais que o anfepramona. pois estava tomando este como foi proibido, meu medico indicou essa medicação, vc achar que ela é mais agressiva , do que o anfepramona?bjos, claudia.byclaudiajane@hotmail.com

    ResponderExcluir
  7. Olá Cláudia, faça uma comparação observando os efeitos do seu medicamento anterior com este atual. Se tiver alguma dúvidas pesquise, mas sempre questione o médico, ele terá o prazer de informá-la.
    Me conte depois o resultado. Agora convido-a para participar do Blog clicando ao lado em participar. Um beijo e ótima semana.

    ResponderExcluir

Faça seu comentário, ele irá ajudar o Blog a trazer mais novidades.

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.